swing e dogging

Nos dias que correm, a sexualidade deverá ser vista e analisada como uma diversidade. Assim vou abrir o tópico de diversidades na sexualidade. Não podemos focar somente nas doenças sexualmente transmissíveis, na formação ou informação, mas sim falar de sexualidade em todo o seu esplendor, em toda a sua variedade. Com a movimentação de pessoas, culturas e técnologias, também a sexualidade vai sofrendo transformações ou se quisermos “updates”. Assim podemos falar de  novas práticas sexuais como o Swing. É um relacionamento sexual entre dois casais estáveis que praticam sexo em grupo. A própria palavra, embora usada por nós na sua língua original, significa girar, balançar, oscilar, neste caso uma troca de casais. Existem dois tipos de Swing:

Soft Swing– onde existe troca de parceiros com carícias, beijos e sexo oral, sem penetração.

Hard Swing– uma troca de perceiros onde existe penetração.

Há locais próprios para o efeito, os chamados “Clubes de Swing”, de acesso restrito apenas a casais.

Uma variante, mas muito ligada ao Swing é o “Dogging”. A palavra deriva de “dog” que significa cão, isto é, com o pretexto de passear o cão, pessoas juntam-se para fazer sexo em grupo em locais públicos. Assim aliado ao prazer sexual, está o perigo eminente de se ser apanhado a qualquer momento. A organização deste tipo de prática, acontece normalmente em segredo e sujeito a certas regras. Participam casais, solteiros, voyeurs, em suma todos os que foram convidados. Não há limites à imaginação e vontade dos participantes, que admitem a excitação e um pimento particular desta prática.

Quer se seja adepto destas práticas, ou seja mais conservador no tocante ao sexo, a verdade é que a sexualidade deve ser encarada em toda a sua multiplicidade, como o arco-íris onde existem todas as cores e onde não se sabe onde começa nem onde acaba.

 Contudo é importante frisar, sexo sim mas SEGURO.

11 COMENTÁRIOS

  1. devias era ter vergonha em publicar aqui esta merda…uma pessoa quando gosta mesma da outra nao vai por aí esfregar se noutra a frente do proprio parceiro…isso é uma autentica estupidez e nojice…

    • quem ama de verdade nao faz swing…como consegue ver a parceira transando com outro….nao é melhor fika solteiro pro resto da vida e sair fazendo sexo porai q hje ta facil dimais…bem melhor neh..o povo sem nocao..

  2. não somos animais!… o sentimento AMOUR não tem significado?!… qual é a imagem de adultos responsavéis que dão?… falão do SIDA aos jovens, filhos, familiares,… e por tras….
    pior do que a crise economica é a crise moral!!!!…. mas infelizmente essa nem os milhares do FMI chegam!
    ja viram um jovem morer do SIDA!… ou pior um bébé, récem nascido, no serviço de peditria à espera do fim… pq a mãe lho transmitiu, esta contaminada, por causa desses comportamentos?!….
    agora daria a vida para salvar o seu bébé, mas a vida dela esta condanada!…
    pareço moralista mas os valores afetivos que devemos transmitir, são compativéis com esses comportamentos …

    estou muito longe de vos, material e moralmente, mas “Sou mulher” abre as portas a uma rubrica… de jornal “porno”… c’est dommage”… PLAYBOY magasine?
    ser-se mulher, é dar uma imagem digna… ontem, deveriamos andar de saia, pq é isto tb a luta da Mulher “ni putes ni soumises”… homagem às que morreram para sermos libres!…ha paises onde o homem deve dar permissão à esposa para ela conduzir, sair de casa , mostrar o resto, …
    pessoalmente, nunca lerei a vossa rubrica! e a todas que são de acordo comigo, digam o qt … estão desenganadas!… leitora anonima!

  3. Somos um casal de swing ha cerca de 5 anos e o que ainda continua a ser a nossa tristeza são alguns artigos ou comentários que se espalham se diariamente por tantos sites para apontar o dedo a uma realidade que não conheçem.
    O Swing seja ele praticado em clubes ou em outro espaço qualquer não passa de uma partilha de um espaço entre 4 pessoas ou mais.
    Não ha partilha de sentimentos mas sim partilha de desejo , de viver uma vida sexualmente activa e sem preconceitos.
    Li num comentario em cima que “ha países ainda que as mulheres tem que pedir permisão aos homens para conduzir”,quanto a isso no Swing é o contrario sao os homens que esperam que as mulheres permitam que o “jogo” se começe.
    No Swing ha sempre uma coisa em mente de todos os swingeres(claro que ha excepçoes tambem,como tudo na vida)que é o RESPEITO por todos.
    O Swing veio trazer a homens e mulheres a Liberdade de puderem por em prática as fantasias que num passado nao passava disso mesmo fantasias.
    Deixem se de preconceitos baratos e venham um dia a um clube e ver as mulheres e homens,onde as crenças,a cor,a idade ficam á porta.
    O que entra é a festa da Vida.
    Swing não é traiçao.

  4. Quanto à parte do swing, este artigo não diz nada de novo. Eu não faria mas sou tolerante. Se feito com precaução é completamente aceitável.
    Quanto à parte do Dogging, é a primeira vez que ouço falar em tal coisa. Além do mais está muito pouco claro…Mas afinal as pessoas têm mesmo cães ou é só um pretexto. Fico chocada quando diz que envolve solteiros, casais e VOYEURS?!!? E isto em locais públicos? Se forem apanhados é crime.Quando diz que ” Não há limites à imaginação”… então a violação é aceitável? Peço desculpa, mas sendo uma pessoa tolerante, acho estúpido que a palavra arco-íris esteja associada ao Dogging. Parece-me um artigo pseudo-tolerante.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here